Depois de chegar a R$ 170,00no final da semana passada, saca da oleaginosa oscilou entre R$ 167,00 e R$ 156,00 nas praças gaúchas nesta segunda-feira


Depois de chegar na última sexta-feira a R$ 170,00, a saca de 60 quilos da soja voltou a ter queda nesta segunda-feira, sendo comercializada no interior do Rio Grande do Sul entre  R$167,00 e R$ 156,00 (no caso das cooperativas). A oleaginosa, cujo bushel na sexta-feira registrou 7,2 pontos de alta na Bolsa de Chicago, teve recuo nesta segunda-feira de 26,6 pontos Segundo o Cepea/Esalq, nos últimos 30 dias, no mercado interno, a soja acusou alta de quase R$ 9,00, saindo de R$ 161,32 em 16 de junho para R$ 170,39 no mesmo dia de julho.

De acordo com o professor de Economia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Nilson Costa, três fatores influenciaram o movimento negativo deste início de semana: a migração dos fundo de investimento para o mercado de papéis, diante de notícias relacionadas à continuidade da pandemia; a frustração no volume de soja que os Estados Unidos deveriam ter exportado na semana passada, projetado em 200 mil toneladas mas concretizado em 144 mil; e as condições climáticas norte-americanas, que até o momento seguem sem a ocorrência de chuvas.

O presidente da Associação dos Produtores de Soja do Rio Grande do Sul (Aprosoja), Décio Teixeira, afirma que o produtor está cauteloso. Mas adverte que é preciso ficar atento às cotações. "O produtor deve ir vendendo conforme as oportunidades, não deve segurar demais para vender tudo de uma vez sob pena de se atrapalhar" completa.



Nereida Vergara / Correio do Povo