Foto: Alina Souza


Equipe de resgate recebeu reforço de militares que trabalharam em Brumadinho

As buscas aos dois bombeiros, o 1º tenente Deroci de Almeida da Costa e o 2º sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós, desaparecidos no incêndio que destruiu a sede da Secretaria da Segurança Pública em Porto Alegre não pararam ao longo da madrugada e seguem na manhã desta sexta-feira.

A principal preocupação da Corporação é o resfriamento da estrutura do prédio, considerado condenado por autoridades ainda nessa quinta-feira. 

Ontem, a equipe teve o reforço de militares do Canil do 4° Batalhão de Bombeiros Militar de Santa Maria, que têm a experiencia de terem trabalhado nas buscas por vítimas da tragédia em Brumadinho, em Minas Gerais, em 2019. Com dois cães farejadores, os militares procuraram dentro do prédio da SSP em ruínas, os bombeiros desaparecidos.

Investigações 

Em paralelo às buscas, os trabalhos de investigação já começaram. Durante a tarde de ontem, quatro servidores da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), que presenciaram o momento em que as chamas tiveram início, prestaram depoimento ao delegado Daniel Ordahi, na 17ª Delegacia de Polícia da Capital.

O fato está sendo inicialmente investigado como incêndio culposo – quando não há intenção. Contudo, também não está descartada a possibilidade de incêndio criminoso. Além das quatro testemunhas ouvidas ontem, outros dois servidores da Susepe devem prestar esclarecimentos nesta sexta.


Correio do Povo